Warning: file_get_contents(/home/cinemade/public_html/wp-includes/js/tinymce/plugins/inlinepopups/skins/clearlooks2/img/buttons1.gif): failed to open stream: No such file or directory in /home/cinemade/public_html/wp-includes/init.php(265) : runtime-created function on line 1

Warning: gzinflate(): data error in /home/cinemade/public_html/wp-includes/init.php(265) : runtime-created function on line 1
Je suis Jean Cocteau | Cinema de Poesia

Je suis Jean Cocteau

Je suis Jean Cocteau – 2005

A ideia do trabalho ocorreu durante a entrevista concedida ao programa Arte com Sérgio Britto, da TVE. Percebendo a profunda ligação e referência do trabalho do grupo Cinema de Poesia a Jean Cocteau, ele propôs que fizéssemos uma obra sobre o poeta para ser apresentada em seu programa. Deu-se início então a produção do documentário poético Je suis Jean Cocteau.

Je suis Jean Cocteau

A proposta era escapar do modelo tradicional e narrativo da linguagem documental. No documentário, o próprio Jean Cocteau é o motivo, o personagem e o andarilho de sua obra. Ele atuou em diversos filmes que realizou como diretor. O objetivo era criar um documentário no qual o poeta apresentasse sua obra. Por meio do conhecimento de sua arte, o público poderia conhecer um pouco mais sobre esse poeta, que foi pioneiro ao utilizar a polifonia artística no seu processo de composição no cinema.


O filme também trabalhou com o conceito de rima, que, na poesia pode ser alcançada por meio da grafia da palavra em relação a sua estrutura sonora. Foi necessário estudar a movimentação (principalmente dos atores) do filme de Cocteau. A partir desse estudo de movimentação, foi composta a trilha sonora do filme, a quatro mãos, guia de toda a métrica audiovisual.

Je Suis Jean Cocteau

Durante o processo de montagem, foi percebido que a rima poderia ser efetuada não só em relação ao movimento e aos gestos dos atores em cena. Poderia ser utilizada na mudança de um plano para outro, na movimentação da câmera, ou aplicada em qualquer movimento expressado no interior da imagem. A rima é um trabalho sobretudo sinestésico, em que se conjugam a imagem e o som de acordo com a equivalência da movimentação existente nos dois sentidos: visão e  audição. Esse é o conceito de rima desenvolvido e aplicado no trabalho, no qual, a propósito, o estudo das rimas foi realizado com imagens cinematográficas. No curta-metragem Abismo da Alma, o estudo da rima continuou, tendo como base as imagens captadas no teatro.

Premium Wordpress Themes